Home Wiki > SDB:Ajuda de download
Sign up | Login

(Redirecionado de Download)

SDB:Ajuda de download

tagline: De openSUSE

Precisa de ajuda para baixar o openSUSE? Ou deseja mais informação sobre o download do openSUSE?

Antes de você baixar

Antes de fazer o download da sua versão do openSUSE, existem algumas coisas que você deve considerar.

Requisitos de sistema recomendados

Certifique-se que seu sistema cumpra os requisitos. O openSUSE suporta a maioria dos componentes de hardware de computadores pessoais. Os seguintes requisitos devem ser cumpridos para garantir o perfeito funcionamento do openSUSE:

  • Processador 2 GHz dual core ou melhor;
  • Memória de 2 GB;
  • Mais de 40 GB de espaço livre em disco;
  • Drive de DVD ou porta USB para a mídia de instalação;
  • O acesso à Internet é útil e necessário para a instalação via rede.

Espaço em disco e tempo de processo

Baixar imagens ISO grandes pode ser, às vezes, problemático; aqui estão alguns conselhos para tornar as coisas mais fáceis.

  • A maioria das ISOs do openSUSE são do tamanho de um DVD e não caberão em um CD de 700 MB.
  • Quando distribuída como uma única imagem de DVD, o openSUSE requer um download de 4.3 GB (veja a tabela de velocidades de conexões).
Bittorrent é o jeito mais aconselhável de baixar arquivos, já que é mais confiável e reduz a carga dos servidores do openSUSE. Se o uso de Bttorrent não está disponível, o uso de um gerenciador de download é recomendado.

A tabela a seguir mostra as estimativas de quanto tempo o processo de download leva, considerando-se várias velocidades de conexão:

Velocidade 1 CD ISO (700 MB) 1 DVD ISO (4.7 GB)
1 Mb/s (Banda larga) 1,5 hora 10,5 horas
5 Mb/s (Banda larga) 18,5 minutos 2 horas
10 Mb/s (Banda larga) 9 minutos 1 hora
24 Mb (ADSL2) 4 minutos 26 minutos
100 Mb (Fibra) 56 segundos 6 minutos
Lembrando que são meras estimativas, pois a velocidade de conexão não é estática, ela varia ao longo do dia em vista de n fatores que a influenciam!

Escolha qual distribuição openSUSE

O projeto openSUSE oferece duas versões diferentes do openSUSE que você pode baixar, instalar e redistribuir.

  • Leap - uma versão do Linux de lançamento regular. Isso significa que é lançada anualmente, com segurança e atualizações de estabilidade sendo prioridades durante o tempo de vida do lançamento. Não se espera que mude de modo significativo até seu próximo lançamento anual. O Leap compartilha um Sistema Base Comum com o SUSE Linux Enterprise, então mudanças maiores de arquitetura não são esperadas por muitos anos, alinhadas com cada novo Grande Lançamento (p.ex. 12, 13, etc) do SUSE Linux Enterprise. O Leap é recomendado para Administradores de Sistema, Desenvolvedores Empresariais e Usuários Desktop "Comuns".
  • Tumbleweed - - uma versão do Linux de lançamento contínuo. Isso significa que o software está sempre com a última versão estável disponível do Projeto openSUSE. As coisas mudarão regularmente assim que projetos de Código Livre e Aberto continuamente lançarem novas versões de seus softwares. Tumbleweed é recomendado para Desenvolvedores, Contribuidores do openSUSE e Entusiastas Linux/FOSS.

Escolha o tipo de instalação

Instalação Local

Quando você escolhe este tipo de instalação, você baixa imagens de CD/DVD que possuem as fontes de instalação do openSUSE para o seu computador local e proceder a partir delas. Isso tem várias vantagens.

  • Você não depende de uma conexão à Internet durante a instalação.
  • Você pode compartilhar os dados com computadores diferentes.
  • Você pode reutilizar os dados em qualquer momento posterior.

Mas tem suas desvantagens também.

  • Você transfere muitos dados que você realmente não precisa.
  • Devido a limitações de tamanho de CDs/DVDs, você obtém apenas um subconjunto de todos os pacotes de software do openSUSE.

Passos para a instalação local

  1. Baixe as imagens ISO.
  2. Grave as imagens ISO em CD/DVD virgens.
  3. Inicie o seu sistema com o CD/DVD.
  4. Instale o openSUSE.

Instalação via rede

Se você escolher este tipo de instalação, você baixa uma imagem de inicialização para iniciar a instalação do instalador YaST e o resto ele faz para você. Este método também tem diversas vantagens:

  • Você não precisa baixar tudo, mas apenas os dados que você precisa.
  • Você só precisa de um CD virgem.
  • A fonte de instalação pela Internet contém todos os pacotes de software para o openSUSE.

Claro, ele também tem suas desvantagens:

  • Você depende de uma conexão com a Internet durante a instalação.
  • Pode ser muito lento, dependendo da carga sobre o servidor e sua velocidade de conexão com a Internet.
  • Pode não ser possível se conectar à Internet, se a sua placa de rede não for reconhecida.

Passos para a instalação via rede

  1. Baixe a imagem do CD de inicialização. Os NET CDs mais recentes estão no repositório openSUSE.
  2. Gravar a imagem do CD de inicialização.
  3. Inicie o computador a partir do CD de inicialização.
  4. Aponte o instalador YaST para o repositório de instalação (pressionando F3 e depois F4).
  5. Instale o openSUSE.

Saiba mais sobre Instalação via rede.


Escolha o protocolo de download

Baixando Via HTTP

Você poderá baixar as imagens de disco do openSUSE como se você fosse baixar um arquivo normal, bastando clicar no link na página de download no seu navegador de Internet. No entanto, é fortemente recomendado que você use um gerenciador de download adequado para reduzir o risco de dados corrompidos ao fazer um download tão grande.

  • Se você usa Linux para download, recomendamos que você use a ferramenta de linha de comando wget. Ela é capaz de continuar o download posteriormente após uma interrupção pela adição de -c nos parâmetros wget. A reconexão após uma desconexão temporária acontece automaticamente, mesmo sem o parâmetro -c. Para mais informações sobre wget digite man wget na linha de comando.
  • Se você usa um Linux ou Unix mais antigo para download, recomendamos que você use a ferramenta de linha de comando curl, desse jeito: curl -C - -O URL. Para mais informações digite man curl na linha de comando.
  • Se você usa Mac OS ou Windows, use sua ferramenta de download favorita cumprindo os requisitos acima.

Baixando via BitTorrent

BitTorrent é um protocolo de compartilhamento de arquivos par à par de código aberto, projetado para a compartilhamento de softwares grandes e arquivos de mídia. Sua vantagem sobre o simples HTTP é que os clientes protegem contra corrupção de dados, e quando vários downloads do mesmo arquivo acontecem simultaneamente, os que estão baixando o arquivo transmitem dados uns para os outros, tornando possível que o arquivo fonte suporte um grande número de transferências com apenas um modesto aumento de sua carga. Se um número suficiente de pessoas participarem será também mais rápido do que os servidores centrais - para todos.

Os passos são simples: uma vez que você tenha baixado e instalado um cliente, você pode iniciar um download via BitTorrent, clicando em um link *.torrent no seu navegador.

  • Se você usa openSUSE, recomendamos que você use o cliente genérico BitTorrent ou o cliente KTorrent. Uma alternativa leve, direto na linha de comando, é o aria2 (pacotes do Build Service, aqui).
  • Se você usa Windows, há três opções populares de uso: o Vuze (certifique-se que você tenha o Java JRE instalado no seu computador), o µTorrent, cliente leve, ou o cliente original BitTorrent.

Outros programas clientes BitTorrent estão disponíveis para diversas plataformas. Você pode encontrar links para alguns clientes BitTorrent na página oficial do BitTorrent na Web]. Para o procedimento exato de download, veja a documentação do cliente que você usa.

BitTorrent executa automaticamente checagem de erros durante as transferências. Se a sua aplicação BitTorrent reporta que todos os arquivos foram baixados com sucesso, você pode ficar tranquilo e pular a etapa de verificação de soma.

Baixando via Metalinks

Metalinks possuem um formato XML, usado por gerenciadores de download, que contém o espelho (mirror) e a localização P2P de um arquivo junto com somas de verificação (checksums). Clientes Metalink oferecem retomada de download, transferência a partir de diversas fontes (de ambos, espelhos e P2P) simultâneas, conferência automática de somas de verificação e reparo automático de erros (dependendo do cliente utilizado), entre outros recursos. Consequentemente, o uso de metalinks pode oferecer maior disponibilidade e confiabilidade, downloads que se auto recuperam, e velocidades de transferência muito altas .

Os metalinks são disponibilizados pelo [[MirrorBrain|redirecionador de download do openSUSE]. Você pode encontrar metalinks para todas as imagens ISO neste endereço.

Para uso e mais informações, veja Metalinks.

Baixando via FTP

É recomendável que você baixe o openSUSE a partir da página de Download. Este método é essencialmente para usuários avançados.

Primeiro escolha um site espelho (mirror) próximo à sua localização. Certifique-se de que o site espelho (mirror) hospeda a versão do produto que você quer para o tipo de mídia de sua preferência.

Nem todos os clientes FTP do Windows são capazes de baixar arquivos maiores que 2 GB. Para baixar uma imagem ISO de DVD numa máquina Windows, certifique-se que você utiliza o sistema de arquivos NTFS. Um cliente FTP que trabalha com imagens deste tamanho é, por exemplo, o ncftp.

Se você encontrar uma localização de imagem ISO parecido com ftp://ftp.example.org/pub/opensuse/distribution/<versão>/iso/<alguma-coisa>.iso, você pode obter essa imagem usando o seu navegador, ou com os comandos

usuário $ cd <DIRETÓRIO ALVO>
usuário:/home/usuário/<DIRETÓRIO ALVO> $ wget ftp://ftp.example.org/pub/opensuse/distribution/<versão>/iso/<alguma-coisa>.iso

Após uma interrupção, você pode continuar o download ao adicionar -c aos parâmetros do wget:

usuário:/home/usuário/<DIRETÓRIO ALVO> $ wget -c ftp://ftp.example.org/pub/opensuse/distribution/<versão>/iso/<alguma-coisa>.iso

Quando o download terminar, você encontrará um arquivo chamado alguma-coisa.iso no diretório <DIRETÓRIO ALVO>.


Verificação de somas

Antes de gravar a sua imagem em um CD/DVD, você deve verificar os arquivos em busca de erros. Um arquivo chamado alguma-coisa.iso.sha256 está disponível. Esse arquivo contém uma linha para cada arquivo ISO disponível a partir do local de download com um conteúdo de código de verificação, chamado de hash, calculado a partir dos arquivos ISOs originais. A linha relevante se pareceria com o seguinte:

8abac6680ecc152f103006b02f9ff67f  alguma-coisa.iso

Estes arquivos *.iso.sha256 são também assinados com GPG pelo openSUSE (como uma proteção adicional - você pode ver um aviso quando a verificação de soma SHA256 é computada, continue lendo para uma solução).

Para ter certeza que o download não contém nenhum erro, você deve criar este número usando o algoritmo SHA256 para a sua própria imagem ISO e comparar com o valor encontrado no arquivo alguma-coisa.iso.sha256 correspondente. O seu programa de gravação de imagem de CD/DVD talvez tenha esse recurso embutido nele mesmo, neste caso cheque se você está usando o algoritmo mais novo SHA256 (ao invés, talvez, do mais velho MD5).

Usando Linux

Para validar sua imagem ISO automaticamente em uma linha de comando, digite:

usuário $ sha256sum -c alguma-coisa.iso.sha256

Se a verificação de soma combinar então com a saída, você verá uma linha como:

alguma-coisa.iso: OK

Se houver qualquer diferença entre a saída do comando de verificação de soma e o número acima, o download está quebrado e deve ser refeito ou reparado.

sha256sum irá quase certamente avisar que algumas das linhas estão formatadas impropriamente, porque ele não entende/processa a assinatura GPG que é também encontrada no arquivo de verificação de soma.

Para verificar a assinatura GPG na linha de comando, você deve primeiramente importar a chave de assinatura do Projeto com os seguintes comandos:

usuário $ gpg --recv-keys 0x22C07BA534178CD02EFE22AAB88B2FD43DBDC284
usuário $ gpg --fingerprint "openSUSE Project Signing Key <opensuse@opensuse.org>"

Agora você pode verificar a assinatura com:

usuário $ gpg --verify alguma-coisa.iso.sha256

Você obterá o resultado mostrando quando o arquivo foi assinado e confirmando a digital, como:

gpg: Signature made Fri 21 Jul 2017 11:10:22 BST using RSA key ID 3DBDC284
gpg: Good signature from "openSUSE Project Signing Key <opensuse@opensuse.org>"
gpg: WARNING: This key is not certified with a trusted signature!
gpg: There is no indication that the signature belongs to the owner.
Primary key fingerprint: 22C0 7BA5 3417 8CD0 2EFE 22AA B88B 2FD4 3DBD C284


A "Primary key fingerprint" deve ser:

22C0 7BA5 3417 8CD0 2EFE 22AA B88B 2FD4 3DBD C284

Por favor, encaminhe-se para a documentação GPG sobre a menssagem de aviso de assinatura confiável ("WARNING: This key is not certified with a trusted signature!"), ela não indica um problema mas apenas o fato de que você não assinou a chave você mesmo.

De novo, se a saída difere (palavras como "BAD", "CRC error" ou "no signature found" são sinais certos de problema) então você deve checar a integridade dos seus arquivos baixados e ou suas origens.

Usando Windows

Há pelo menos dois métodos de verificação de somas de arquivos ISO no Windows, sendo que um envolve o uso de um programa com interface gráfica e o outro uma ferramenta de linha de comando:

  1. Para validar sua imagem ISO, baixe o programa DivHasher. Abra o programa, selecione File e clique em Choose... e selecione a sua imagem baixada. Então selecione o algoritmo SHA-256 e clique em Calculate.
  2. Para validar sua imagem ISO usando o prompt de comando do Windows, baixe o programa sha256sum.exe disponível em http://www.labtestproject.com/files/win/sha256sum/sha256sum.exe. Para usá-lo, salve sha256sum.exe para no mesmo diretório que estiver as imagens ISO. Selecione Executar... no menu Iniciar ou pressione Ctrl+R e digite cmd e pressione Enter para iniciar o Prompt de Comando do Windows. Mude então para o diretório de download. Rode sha256sum com o arquivo ISO deste modo:
Microsoft Windows [versão 6.3.9600]
<c> 2013 Microsoft Corporation. Todos os direitos reservados.

C:\Users\usuário>cd Downloads

C:\Users\usuário\Downloads>sha256sum.exe alguma-coisa.iso

Ambos os programas levam algum tempo para completar os cálculos, já que eles devem ler a imagem ISO inteira. Abra o arquivo *.iso.sha256 com um editor de texto, como o Bloco de notas, para ver seu conteúdo. Certifique-se de que a hash mostrado pelo sha256sum.exe para a imagem ISO baixada combina exatamente com a hash do arquivo *.iso.sha256.

Se as hashes combinarem, você pode gravar a imagem ISO em um disco. Se não combinarem, baixe o arquivo novamente.

Usando Mac OS X

Há pelo menos dois métodos de verificação de somas de arquivos ISO no Mac OS X, sendo que um envolve o uso de um programa com interface gráfica e o outro uma ferramenta de linha de comando:

  1. Para validar sua imagem ISO, instale o programa HashTab. Arraste a sua imagem ISO baixada e solte-a dentro do programa HashTab. Veja que valor o HashTab irá mostrar. Abra o arquivo *.iso.sha256 com o Editor de Texto para mostrar seu conteúdo. Certifique-se que a hash mostrada pelo HashTab combina exatamente com a hash correspondente do arquivo *.iso.sha256.
  2. Para validar sua imagem ISO através da linha de comando, use o comando shasum. A fim de validar o arquivo corretamente, o algoritmo 256-bit deve ser especificado. Mude para o diretório que contém a imagem ISO, rode então shasum. Por exemplo:
usuário $ cd Desktop
usuário:~/Desktop $ shasum -a 256 alguma-coisa.iso

Para ambos os casos, se as hashes combinarem, você pode gravar a imagem ISO em um disco. Se não combinarem, baixe o arquivo novamente.


Reparando um download

Se você estiver usando Linux como sistema operacional, você pode reparar downloads de ISOs defeituosos com o comando rsync. Para fazê-lo, escolha um site espelho (mirror) que suporte este protocolo a partir da lista de espelhos e digite na linha de comando o seguinte:

usuário $ rsync rsync://<nome-do-espelhio>/<diretório-opensuse>/

Isto mostrará o conteúdo do diretório no servidor. Ao anexar os nomes dos subdiretórios ao comando, você pode ir para o diretório onde a ISO está localizada no computador remoto.
Então:

usuário $ touch <caminho-do-seu-arquivo-ISO-local>
usuário $ rsync -avP rsync://<nome-do-espelho>/<caminho-do-arquivo-ISO-remoto>> <caminho-do-seu-arquivo-ISO-local>

fará o reparo do arquivo, baixando apenas os dados necessários para corrigi-lo. Para informações adicionais, consulte por favor o manual do rsync, digitando (numa shell):

usuário $ man rsync

Grave a imagem ISO em um DVD

Usando Linux

Após baixar a imagem ISO com sucesso, utilize um aplicativo de gravação de sua preferência para gravar o arquivo ISO para um CD ou um DVD virgem (Note que desde o 12.3 em diante, a ISO não cabe mais em um CD, use então um dispositivo USB). Em sistemas rodando openSUSE, use o K3B ou o Brasero para gravar os discos. Selecione a opção que permite a gravação de imagens ou sistemas de arquivos ISO9660 em um CD ou DVD. Não grave a imagem ISO da mesma maneira como você gravaria outros tipos de arquivos.

A partir da linha de comando você pode usar o programa cdrecord:

usuário $ cdrecord dev=/dev/cdrecorder speed=44 driveropts=burnproof -dao -eject -v arquivo.iso

Usando Microsoft Windows

Windows 10

Windows 7/8

  • Clique com o botão direito sobre a imagem ISO e escolha "Gravar imagem de disco".
  • Selecione o gravador de disco (drive) e escolha "Gravar". Se você marcar "Verificar o disco após gravação", o programa verificará se a imagem ISO foi gravada corretamente.

Windows 95/98/ME/2000/XP/Server 2003/Vista

O Windows XP não tem a capacidade de gravar imagens ISO sem o uso de softwares de terceiros. O não autorizado ISO Recorder PowerToy pode adicionar esta capacidade ao Windows XP. Para usuários que estão vindo de qualquer versão do Microsoft Windows, existe um número amplo de aplicações de terceiros capazes de gravar imagens ISO, normalmente um programa de gravação para Microsoft Windows é fornecido com a unidade gravadora de CD/DVD - use seu site de busca favorito para encontrá-los. Um bom software de código aberto é o InfraRecorder, um bom software freeware é o Cd Burner XP. Quando gravar a sua imagem ISO, certifique-se de que tenha optado por gravá-lo "disc-at-once" ou "session-at-once", ao invés de "track-at-once". Alguns softwares (p.ex. o Nero) tem como padrão "track-at-once".

Usando OS Mac X (10.3 e mais recentes)

No Finder, abra o menu Ir e selecione Utilitários. Na pasta Utilitários você vai encontrar um aplicativo chamado "Utilitário de Disco". Abra-o, em seguida arraste e solte a imagem ISO na barra lateral esquerda. Selecione a imagem, clique em "Gravar" e insira seu CD/DVD. Para mais informações, cheque a página de suporte da Apple sobre o assunto.

Crie um dispositivo Live USB inicializável

Encaminhe-se à este como-faz se você usa Linux, MacOS, ou Windows: Live USB.


Resolução de problemas de download

Baixar arquivos grandes tais como imagens ISO pode ser difícil às vezes. Aqui estão algumas dicas para evitar os problemas mais comuns:

  • Erro de "espaço insuficiente": ele pode ocorrer se a imagem ISO de DVD estiver sendo baixada para um sistema de arquivos FAT32, apesar do fato de sua unidade informar que há espaço suficiente. Este sistema de arquivos tem um limite de tamanho de arquivo de 4 GiB menos 1 byte (ou 4.294.967.295 bytes, e, portanto, a imagem ISO de DVD (4.3 GB) não caberá. Para resolver isto, baixe as imagens ISO de CD ou baixe a imagem de DVD em outra unidade com sistema de arquivos NFTS.
  • Considere usar Metalinks ou BitTorrent ao invés de FTP: às vezes eles alcançam taxas de desempenho melhores que transferências via FTP, e podem garantir que os dados foram transferidos corretamente.
  • Considere usar um gerenciador de download ou um cliente FTP que suporte retomada de download: sugerimos fortemente estes tipos de programas porque se ocorrerem problemas de download, a função de retomar lhe permite a continuação de um download interrompido ao invés de começar tudo de novo. Muitos gerenciadores de download agora têm também suporte à soma de verificação, que é recomendada. Escolha um gerenciador de download com os recursos que você precisa a partir desta lista completa.
  • O proxy não permiti FTP?: Alguns servidores proxy são configurados para não permitir acesso FTP. Se você estiver usando proxy, faça o download a partir de um site HTTP espelho (mirror).
  • O proxy tem limitação de tamanho de download?: Ao baixar a imagem ISO de DVD, certifique-se que o seu proxy e o seu cliente de download suportam arquivos com tamanho de 4.3 GB ou mais. Se a transferência parar prematuramente, próximo a esse tamanho, o seu cliente provavelmente não suporta arquivos tão grandes. Se você estiver utilizando Linux, você pode usar o Konqueror (navegador do KDE), curl ou lftp (lukemftp). Em MacOS, o Safari e o cliente FTP padrão devem funcionar. Se você estiver usando Windows, vale a pena tentar o FileZilla.

Veja também